Sindisaude
54 3221.7453
54 9635.0765
30 de Agosto, 2016

Centrais buscam apoio do senador Lasier Martins para barrar reforma trabalhista

Os dirigentes das Centrais Sindicais CTB, CUT, Nova Central e Força Sindical reuniram-se,  com o Senador Lasier Martins do PDT/RS, em Porto Alegre. Na pauta do encontro temas como a reforma trabalhista, previdenciária, terceirizações e o processo de impeachment da Presidenta Dilma Rousseff.

As centrais defenderam a manutenção da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e denunciaram a ofensiva da Fiergs, da Fiesp e outras entidades patronais para a retirada de direitos, colocando em risco conquistas históricas da classe trabalhadora.

O presidente da CTB RS, Guiomar Vidor, falou sobre as aflições da classe trabalhadora com relação a pauta conservadora que tramita no Congresso Nacional, que visa flexibilizar e retirar direitos duramente conquistados ao longo das últimas décadas. “Nossas maiores preocupações, no momento, estão centradas na tentativa de mudança da legislação que estabelece a prevalência do negociado sobre o legislado e o projeto que autoriza a terceirização sem limites em todos setores da economia”, destacou Vidor.

Em resposta, Lasier disse concordar que o Negociado sobre o Legislado prejudica os trabalhadores e que votará contra a matéria da maneira em que está sendo proposta. 

O Senador também se posicionou sobre o Projeto da Terceirização. “Eu já formei opinião a respeito e reconheço que a aprovação deste dispositivo representará um prejuízo enorme à classe trabalhadora. Mas sou a favor que a PL seja aplicada ao setor de informática, pois é uma atividade diferenciada que exige qualificação e a atualização continuada, necessitando a contratação profissionais especializados para atender demandas específicas e temporárias de cada empresa”, disse Lasier.

Os representantes das demais Centrais Sindicais também pediram que o Senador se posicionasse sobre a reforma da Previdência. Lasier afirmou que são necessários ajustes na Previdência, mas que não considera adequada a idade mínima de 65 anos para homens e mulheres se aposentem. "Eu defendo a manutenção da soma 85 anos para mulheres e 95 anos para os homens, é a fórmula mais justa para quem precisou entrar para mercado de trabalho mais cedo”, enfatizou o Senador.

Sobre o impeachment da Presidenta Dilma Rousseff, Lasier declarou que votará favoravelmente. “Trata-se de um julgamento misto, ou seja, político e jurídico. E a presidenta não possui mais as condições políticas necessárias para reorganizar uma base de apoio que lhe dê sustentação no Congresso Nacional", afirmou.

Fonte: Assessoria do Senador Lasier Martis e Fecosul

 

 

 

VOLTAR PARA LISTA DE Banner Notícias