Sindisaude
54 3221.7453
54 9635.0765
16 de Fevereiro, 2016

Reajuste anunciado pelo governo gaúcho desconsidera mais de 1 milhão de trabalhadores, diz CTB

 A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB-RS) vem a público manifestar a sua inconformidade diante do anúncio do Governo Sartori de reajustar o Salário Mínimo Regional em apenas 9,6%, sendo o índice bem inferior à inflação do período, que foi de 11,38%.

Segundo o presidente da CTB-RS, Guiomar Vidor, em nada se justifica um reajuste inferior à inflação do período, uma vez que os empresários e governo já repassaram esses índices aos produtos, serviços e impostos. O índice reivindicado pelas centrais sindicais se refere apenas à manutenção do poder de compra dos salários, sem qualquer aumento real.

“É uma desconsideração do Governo aos mais de 1,3 milhão de trabalhadores e trabalhadoras que dependem diretamente deste reajuste, e que são os que mais precisam. Afinal, são pessoas que não possuem representação sindical ou são representados por entidades mais frágeis e situados em municípios menores”, defende Vidor.

A CTB acredita que o governo estadual desconsidera ainda a importância do Mínimo Regional como importante instrumento de distribuição de renda e de desenvolvimento econômico e gerador de tributos, considerando-se que estes trabalhadores compram apenas no mercado local, fortalecendo assim o comércio, a indústria, os serviços e agricultura do Estado.

Infelizmente o Governo Sartori cede a pressão patronal, que historicamente defende o fim do Mínimo Regional.

A CTB, juntamente com as demais centrais sindicais, já articula, com deputados da Assembleia Legislativa, emenda para garantir que o Mínimo Regional tenha, ao menos, como reajuste a inflação acumulada nos últimos 12 meses, de 11,38%.

A valorização do Mínimo Regional deve ser uma luta de todos os gaúchos.


Salário Mínimo Regional, valorizar faz bem ao RS.

CTB RS

 FONTE: PORTAL CTB RS

VOLTAR PARA LISTA DE Banner Notícias