Sindisaude
54 3221.7453
54 9635.0765
21 de Novembro, 2016

Temer inicia desmonte do BB; medida tira 10 mil postos de trabalho

 Com o falso discurso da eficiência e modernização, o governo ilegítimo de Michel Temer iniciará o desmonte de mais uma empresa estatal, agora é a vez do Banco do Brasil (BB). As informações do chamado "plano de reestruturação" foram publicadas neste domingo (20) e tem como foco fechar agências e "enxugar a estrutura administrativa" do banco. Com o plano, o governo fechara 781 agências, um corte de 14%. 

A gestão golpista não cansa de reescrever a história. Na proposta reestruturação do BB também estará o incentivo à aposentadoria de funcionários, uma versão moderna do PDV (Plano de Demissão Voluntária). O banco tem hoje 18 mil empregados que já poderiam ter de aposentado, mas seguem na ativa, estes terão até dezembro para aderir ao plano e se aposentarem.

E fica pior, de acordo com comunicado do banco, o corte tirará o emprego de 10 mil funcionários. Ao todo, hoje, o BB possui 109 mil. As mudanças devem ocorrer ao longo de 2017.

Em um cenário de crise econômica mundial, Temer escolhe o caminho do arrocho e da redução do número de postos de trabalho. Isso sem falar no desmonte de uma estatal que na última década recebeu todo o apoio do governo para concorrer, em pé de igualdade, com os bancos privados e descentralizar as regras do jogo no sistema financeiro.

Desmonte de uma estatal forte

Em poucas horas de pesquisa na internet os números do crescimento dos bancos estatais nos últimos 10 anos saltam aos olhos. Para se ter uma ideia, a soma do lucro dos bancos pesquisados teve como resultado, entre 2001 e 2011 um lucro de 269,3 bilhões de reais.

Outro dado interessante da pesquisa é que 33% deste montante foi conquistado apenas nos últimos dois anos.  Em 2010 os bancos lucraram aproximadamente R$ 46 bilhões. Em 2009 foi algo em torno de R$ 41 bilhões. Deste montante apresentado, seis bancos abocanham 95% do lucro, e praticamente  dominam o mercado. São eles: Itaú, Banco do Brasil, Bradesco, Santander, CEF e HSBC.

Com informações do Portal CTB 

 

VOLTAR PARA LISTA DE Banner Notícias