Sindisaude
54 3221.7453
54 9635.0765
28 de Agosto, 2019

Estudo aponta taxa de suicídios entre profissionais da enfermagem

Levantamento da Secretaria da Saúde do Paraná aponta que enfermeiros, técnicos de enfermagem e técnicos estão entre os profissionais que mais cometem suicídio, em decorrência de questões laborais. De acordo com os dados, entre 2008 e 2017, 48 profissionais tiraram a própria vida naquele estado. Os casos foram registrados em 26 municípios localizados na área de abrangência de 14 regionais de saúde do Paraná.

O estudo indica que a enfermagem está no rol de profissões com maior vulnerabilidade para o comportamento suicida. A profissão tem alto nível de exaustão emocional, depressão, sobrecarga de trabalho e baixa realização pessoal. O trabalho revela ainda que o risco aumenta em ambientes insalubres, presença de conflitos internos e exigências da empresa e familiares dos pacientes. Conforme dados coletados, a maioria das mortes foi de mulheres com idade entre 40 e 49 anos.

Entre os fatores de risco para o suicídio, os autores apontam as questões laborais e a enfermagem aparece no rol de profissões com maior vulnerabilidade para o comportamento suicida. Às características da profissão, somam-se a depressão, o alto nível de exaustão emocional, a sobrecarga de trabalho e a baixa realização pessoal. O risco aumenta em ambientes insalubres, com condições precárias, presença de conflitos internos e exigências da instituição e familiares dos pacientes. Os dados coletados mostram que a maioria das mortes foi de mulheres na faixa etária entre 40 e 49 anos, ou seja, pessoas que já estão há muito tempo na profissão.

O estudo foi realizado por técnicos da secretaria da Saúde do estado do Paraná e apresentado durante a 5ª Mostra de Pesquisa em Saúde e reconhecido com o terceiro lugar no eixo Epidemiologia e Vigilância em Saúde.

Fonte: Folha de Londrina

VOLTAR PARA LISTA DE Notícias Destaque