Sindisaude
54 3221.7453
54 9635.0765
23 de Março, 2016

RS avança em desenvolvimento socioeconômico, segundo dados do Idese de 2013

 O Rio Grande do Sul registrou crescimento de 1,7% no Idese de 2013. O índice passou de 0,734 em 2012 para 0,747. O Idese é um indicador-síntese que tem o propósito de mensurar o nível socioeconômico e acompanhar o desenvolvimento dos municípios do Rio Grande do Sul, além de fornecer informações para o desenho de políticas públicas específicas de acordo com as necessidades municipais e regionais. Os dados são calculados pelo Núcleo de Indicadores Sociais e  foram apresentados nesta terça-feira, 22, na FEE.

Com esse desempenho, o Estado apresenta um nível médio de desenvolvimento (entre 0,500 e 0,799). O nível alto se situa acima 0,800 e baixo corresponde a menos de 0,499.

O  Idese é composto por 12 indicadores, divididos em três blocos: Educação, Renda e Saúde. O índice do bloco Renda foi o que obteve maior elevação, aumentando 3,1% entre 2012 e 2013. O índice do bloco Educação aumentou 2,2%, enquanto o bloco Saúde manteve-se estagnado.

O economista Thomas Kang explica que o bom desempenho do bloco renda se deve à elevação do PIB per capita e da renda apropriada. “O PIB per capita é a renda gerada no município e renda apropriada é a estimativa do que fica no município, a renda efetivamente apropriada pela população. Nesse caso de 2013, as duas se elevaram e correspondem ao crescimento da economia gaúcha naquele ano”, explica. Segundo o pesquisador, o bloco Educação também teve bom desempenho, especialmente pela pré-escola, e o bloco Saúde já tem um índice alto e se manteve estável.

Municípios melhoram desempenho

O Idese, como instrumento de avaliação da situação socioeconômica dos municípios gaúchos, considera aspectos qualitativos do processo de desenvolvimento.

O número de municípios com índices considerados de alto desenvolvimento, acima de 0,800, aumentou significativamente, passando de apenas 07 em 2007 e 13 em 2010 para 73, dentre os 497 municípios do Estado, em 2013. “Isso tem a ver com a forte elevação do PIB per capita”, explica Kang.

“O Estado tem melhorado bastante em seus índices de desenvolvimento. Em parte tem a ver com a implementação de ´políticas públicas nos blocos analisados e em parte com o próprio crescimento econômico”, avalia Kang.

Destaques: Porto Alegre fica em terceiro

O município serrano de Carlos Barbosa permanece em primeiro no ranking, com 0,882 em 2013, seguido pelo município de Água Santa (0,868), localizado no Corede Nordeste e  Nova Bassano (0,866) no Corede Serra. Separado por blocos, o desempenho dos municípios se altera. No Bloco Educação, o primeiro do ranking é  Nova Petrópolis (0,845), seguido por Picada Café (0,839) e Carlos Barbosa (0,834). No bloco Saúde, a classificação ficou com Nova Pádua (0,918), Colinas (0,914) e Coqueiro Baixo (0,914). Já no bloco Renda, o ranking é Água Santa (0,954), Carlos Barbosa (0,935) e Nova Bassano (0,926).

Dentre os 20 municípios com mais de 100 mil habitantes, apenas cinco apresentaram índices de alto desenvolvimento (acima de 0,800) em 2013. Em primeiro lugar aparece Bento Gonçalves ( 0,832) , seguido por Erechim ( 0,820). Porto Alegre ficou na terceira colocação (0,814), A última colocação no ranking dos 20 municípios se manteve com Alvorada (0,568).

Na classificação por Coredes, os municípios da serra se destacam. O Corede Serra manteve a primeira colocação no Idese, com índice 0,815 em 2013.  Também se destacaram os Coredes Noroeste Colonial (0,800) e Norte (0,795). O Corede Centro-Sul apresentou novamente o pior índice (0,679), permanecendo na última posição em 2013.

Fonte: Sul21 com informações da FEE 

VOLTAR PARA LISTA DE Notícias Destaque