Sindisaude
54 3221.7453
54 9635.0765
22 de Janeiro, 2016

Salário tem queda maior entre trabalhadores com mais escolaridade

Os dados sobre mercado formal divulgados hoje mostram queda de rendimento maior entre trabalhadores com mais escolaridade. Em 2015, o salário médio de admissão (já descontada a inflação) caiu 4,55% entre empregados com ensino superior completo e 4,69% entre os que tinham ensino superior incompleto.

No caso dos analfabetos, por exemplo, a retração é de 1,69%. Na faixa do ensino médio, o salário recua 3,01%, enquanto para aqueles com ensino fundamental completo há crescimento de 1,46% – é a única situação com resultado positivo no ano passado, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência Social. Na média, o salário de admissão recuou 1,64%, para R$ 1.270,84.

Entre empregados com ensino superior completo, a média chega a R$ 2.905,13. É nessa faixa que se nota maior diferença no recorte por gênero: o salário de admissão: o das mulheres corresponde a 66,02% do recebido pelos homens – diferença de R$ 1.223. A média geral é de 87,9%. Na outra ponta, entre os analfabetos, os rendimentos quase se equivalem – a relação é de 95,76%, com média R$ 969,03.

O maior salário médio foi registrado em São Paulo (R$ 1.467,38) e o menor, em Alagoas (R$ 964,28). Só duas unidades da federação tiveram crescimento no ano passado: Distrito Federal (5,39%) e Amapá (0,96%). As maiores quedas foram registradas em Pernambuco (-6,54%), Alagoas (-5,32%), Rio de Janeiro (-4,49%) e Acre (-4,46%).

De 2011 a 2015, o salário médio de admissão cresceu 9,95%.

Fonte: RBA

 

VOLTAR PARA LISTA DE Notícias Destaque