Sindisaude
54 3221.7453
54 9635.0765
15 de Setembro, 2016

Sem provas, Lava Jato usou retórica contra Lula, diz editorial da Folha

 

 Dos três principais jornais impressos do País, a Folha de S. Paulo foi o único veículo a dedicar editorial apontando a fragilidade da denúncia que o Ministério Público Federal apresentou contra o ex-presidente Lula na quarta (14).

"Verdade que não se sabe que outras surpresas os procuradores trazem no bolso, mas, ao menos por ora, fica a impressão de que, sem conseguir apresentar evidências mais robustas contra Lula, o Ministério Público Federal tenta suprimir a lacuna com retórica", apontou o jornal.

No texto, o jornal questiona como o "comandante máximo" da propinocracia na última década só levou uns trocados dos desvios praticados numa estatal do porte da Petrobras. "Não que seja pouco ou perdoável, mas causa estranheza que, num esquema descrito com tantas hipérboles, a parte do comandante máximo se resuma a valores inferiores aos obtidos por figuras sem expressão política [pouco mais de R$ 3 milhões]."

Em outra passagem, o editorial diz que "a ninguém escapa, afinal, que Lula era o chefe político; daí a ser o chefe criminoso há uma distância que precisa ser superada com provas."

Na mesma página, um artigo de Bernardo Mello Franco também critica a Lava Jato por falta de solidez na denúncia contra Lula. "(...) a força-tarefa parece não ter provas suficientes para sustentar que o ex-presidente era o líder de uma organização criminosa que usava as horas vagas para governar o País. Para bancar essa acusação, Dallagnol e seus colegas precisariam apresentar menos frases de efeito e mais evidências."

Fonte: GGN

VOLTAR PARA LISTA DE Notícias Destaque