Sindisaude
54 3221.7453
54 9635.0765
07 de Abril, 2020

Universidades do RJ se unem para produzir máscaras, respiradores e álcool gel

As principais universidades do Rio de Janeiro estão colocando o conhecimento científico a serviço do combate à pandemia da covid-19. Nos últimos dias, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e a PUC-Rio anunciaram uma série de medidas para ajudar médicos e hospitais em todo o país.

Uma das maiores deficiências nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) do país são os ventiladores mecânicos, que ajudam pacientes sedados ou em coma induzido a receberem uma mistura de ar rico em oxigênio com pressão suficiente para vencer a resistência do pulmão doente.

A estimativa é que o Brasil precisará de mais 20 mil ventiladores pulmonares nas próximas semanas, mas a produção atual no país é de 2 mil aparelhos por mês, mesmo com produção acelerada. Por isso, pesquisadores de Engenharia da UFRJ estão desenvolvendo um modelo para ser reproduzido em massa, de forma simples, barata, rápida e com recursos disponíveis no mercado nacional.

Chefe do Laboratório de Engenharia Pulmonar e Cardiovascular (LEP) da Coppe/UFRJ, o professor Jurandir Nadal disse que o projeto está sendo financiado por empresas como a Petrobras, Whirlpool, Vale, Firjan, além do BNDES, Ministério da Saúde, Ministério de Ciência e Tecnologia e das agências de pesquisa CNPq e Faperj.

Máscaras de proteção de baixo custo

Outro equipamento de grande importância nos hospitais são as máscaras de proteção que profissionais de saúde devem usar para evitar novas infecções em hospitais. A Escola de Engenharia da UFF está desenvolvendo máscaras de proteção de baixo custo em impressoras 3D. A confecção do equipamento é com materiais como acetato e silicone.

Para o reitor da UFF, professor Antonio Claudio Lucas da Nóbrega, é importante que a universidade una forças e envolva toda a comunidade acadêmica, através de projetos e ações no combate ao coronavírus. “Temos tecnologia de ponta, pesquisa de alta qualidade, profissionais de excelência e colocamos todos os nossos recursos à disposição da sociedade”.

Fonte: Brasil de Fato

VOLTAR PARA LISTA DE Notícias Destaque