Sindisaude
54 3221.7453
54 9635.0765
20 de Julho, 2015

Audiência pública no Senado repudia projeto que prevê terceirzação

 O senador Paulo Paim (PT) afirmou que o projeto que prevê a terceirização dos serviços não passará no Senado.  Segundo Paim, nunca houve tanta unanimidade contra um projeto. A afirmação foi feita no enceramento da audiência pública da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado que discutiu a terceirização na saúde. O evento foi resultado de solicitação da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde – CNTS com apoio do Fórum Nacional da Enfermagem.

Paulo Paim, que é relator do projeto no Senado, considera que o texto do PLC 30/2015 torna as condições de trabalho da enfermagem mais degradantes. “Sabemos que a rotina dos profissionais da enfermagem é desgastante. São profissionais que, muitas vezes, estão longe da remuneração ideal. Se o projeto que regulamenta a terceirização for aprovado do jeito que está, a tendência aponta para menores salários, maior carga horária e, sem dúvidas, precarização nas condições de trabalho”, disse.

Para o secretário-geral da CNTS e coordenador do Fórum Nacional da Enfermagem, Valdirlei Castagna, a saúde, como setor, precisa ser resguardada da terceirização. “Atualmente os índices de afastamento dos trabalhadores por motivo de doenças do trabalho ultrapassam os 22%. Certamente se ampliarmos a terceirização como está no PLC 30/2015, este índice vai triplicar”.

Ainda segundo Castagna, não existe atividade-meio em saúde. “Tudo o que se faz numa unidade de saúde tem como objetivo o bem-estar do paciente e isto caracteriza atividade-fim. Por exemplo, a alimentação que é servida aos trabalhadores dentro de uma indústria não pode ser a mesma servida aos pacientes. A higienização feita no chão de uma fábrica não pode ser a mesma feita dentro de um hospital”, disse.

Fonte: Agência CNTS

 

 

VOLTAR PARA LISTA DE Notícias