Sindisaude
54 3221.7453
54 9635.0765
08 de Agosto, 2013

Obstáculos judiciais não desanimam trabalhadores em greve

Os trabalhadores do Hospital Saúde de Caxias do Sul chegam ao 3º dia de greve diante de dois obstáculos: o interdito proibitório, concedido pela Justiça do Trabalho, e uma liminar que determina o aumento do número de trabalhadores nos setores essenciais do hospital. O interdito proibitório determina que os funcionários façam suas manifestações a uma distância de 50 metros da empresa, enquanto a liminar diz que a UTI deve funcionar com 100% dos empregados e o bloco cirúrgico com 60% dos profissionais.  O departamento jurídico do Sindisaúde recorreu da decisão buscando derrubar a liminar. A expectativa é de que o recurso seja julgado nesta quinta feira. 

Negociações
A reunião entre representantes do hospital e trabalhadores, que estava prevista para tarde desta quarta-feira, foi suspensa. Os representantes do sindicato patronal alegaram que havia outro encontro prevista para às 16h30min., mesmo horário marcado com os trabalhadores.  Com isso, os funcionários decidiram manter a paralisação e esperam que as negociações evoluam.  Nesta quarta-feira (08/08) a categoria fez duas ações de protesto com o bloqueio do trânsito em frente ao hospital das 11h30min., e das 17h30min., às 18h30min. “A ideia é chamar a atenção da população para a intransigência da administração do Hospital Saúde”, disse o presidente do Sindisaúde, Danilo Teixeira. O dirigente lembra que a categoria está tentando negociar o dissídio coletivo desde janeiro e até agora não houve avanço nas negociações. Os trabalhadores reivindicam 12% de reajuste, piso salarial de R$ 1.500 e gratificação de R$ 180. 
 
VOLTAR PARA LISTA DE Notícias